ART NAIF – Arte espontânea

É a arte da espontaniedade, da criatividade autêntica, do fazer artístico sem escola nem orientação, portanto é instintiva e onde o artista expande seu universo particular (não implica que a qualidade das suas obras seja inferior). Caracteriza-se, em termos gerais, pela simplicidade e pela falta de alguns elementos ou qualidades presentes na arte produzida por artistas com formação nessa área.

Art Naïf (arte ingênua) por ser um estilo de pintura sem formação sistemática, trata-se de um tipo de expressão que não se enquadra nos moldes acadêmicos, nem nas tendências modernistas, nem tampouco no conceito de arte popular. 

Esse isolamento situa a art naïf numa faixa próxima a da arte infantil, da arte do doente mental e da arte primitiva, sem que, no entanto, se confunda com elas.

Hoje já existem “escolas” de artistas naïf, pois ao longo do tempo, o estilo foi sendo cada vez mais aceito e valorizado.

As principais características da arte naïf (por exemplo, na pintura) são a forma desajeitada como se relacionam determinadas qualidades formais; dificuldades no desenho e no uso da perspectiva que resultam numa beleza desequilibrada mas, por vezes, bastante sugestiva; uso frequente de padrões, uso de cores primárias, sem grandes nuances; simplicidade no lugar da sutileza, etc.

O artista naïf não se preocupa em preservar as proporções naturais nem os dados anatômicos corretos das figuras que representa, optam por uma figuração sem compromisso fotográfico com a realidade.
Principal Artista:
O francês Henri Rousseau (1844-1910), exímio colorista, homem de pouca instrução geral e quase nenhuma formação em pintura. Em sua primeira exposição foi acusado pela crítica de ignorar regras elementares de desenho, composição e perspectiva, e de empregar as cores de modo arbitrário. Estreou com uma original obra-prima, “Um dia de carnaval”, no Salão dos Independentes. Criou exóticas paisagens de selva que lembram tramas de sonho e parecem motivadas pelos sentimentos mais puros. Nos primeiros anos do século XX, após despertar a admiração de Alfred Jarry, Guillaume Apollinaire, Pablo Picasso, Robert Delaunay e outros intelectuais e artistas, seu trabalho foi reconhecido em Paris e posteriormente influenciou o surrealismo.

Confira abaixo algumas das obras de Henri Rousseau:


Esta arte ingênua que começou a ser valorizada no início do século XX conquistou vários seguidores e hoje, existem vários artistas importantes em todo o mundo, em especial no Brasil: Artur Pereira, G.T.O. (Geraldo Teles de Oliveira), José Antônio da Silva, José Valentim Rosa, Júlio Martins da Silva, Madalena Santos Reinbalt, Maria Auxiliadora Silva, Pedro Paulo Leal, Raimundo de Ol, entre muitos outros…

Vamos nos encantar com mais obras da maravilhosa Arte Naïf:

Chico da Silva

Ana Maria Dias

Bebeth

Ernane Cortat

Ernani Pavaneli

Marcos de Oliveira

Thais Ibanez


Thais Ibanez
 
Thais Ibanez

Analice Uchôa


Analice Uchôa


Analice Uchôa

Aecio
Aecio

Agnaldo

Josinaldo

Robson Barros

Rosangela Borges

Rosaria Silva

Sugestão do post: Pietra Alves Carneiro

4 thoughts on “ART NAIF – Arte espontânea

  1. Muito bom o seu blog. Os trabalhos são lindos ! Eu, que sempre desenhei, não sabia que minha arte é naif. Mirabô Dantas – mùsico – Natal – RN

  2. Que bom saber que vc passa por aqui de vez em quando… Volte sempre! Junte-se a nós! Vou te fazer a mesma proposta que fiz ao Mirabô. Manda umas fotos dos seus quadros, deixa que eu poste aqui junto com os outros pintores Naifs! Gostou da ideia? Então anota aí o e-mail do nosso blog, estou esperando, hein!Bjs 🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s