PERSONALIDADES DESENHADAS COM PALAVRAS

Existe um artista e fotógrafo chamado Huy Lam, nascido no Vietnã que não utiliza pincel e nem tintas para pintar suas obras de arte. Pasme, ele utiliza palavras, pequenas frases e números (repetidas vezes), para criar belíssimos retratos de pessoas famosas e ícones da arte.
No retrato do artista Vincent Van Gogh, por exemplo, um trabalho de paciência, talento e habilidade foram gastas 40 horas para completar a imagem, nele o artista repete a palavra “genius” por várias vezes e em vários tons de cores para conseguir dar semelhança ao pintor.
Há vários outros retratos maravilhosos como o de Heath Ledger, o ‘Coringa’, Bob Marley, do Presidente Obama e a imagem clássica da glamourosa Marilyn Monroe, que levou cerca de 65 horas para ser concluído.
Observe os detalhes destes lindos trabalhos de arte feitos com palavras por Huy Lam:

Napoleão Bonaparte


Van Gogh feito com repetidas palavras – genius


Retrato do Presidente Obama feito com a palavra: Hoped, que significa “esperado”.


Che Guevara



Bob Marley



Retrato de Marilyn Monroe, lindíssimo e inacreditável que seja feito com números 36-24-37
Visite o blog do artista, clicando aqui.
Anúncios

ARTE EM FOLHAS DE CHEQUE

Há quem diga que talão de cheques é coisa do passado, também com tantas vantagens que os cartões de crédito disponibilizam! A verdade é que a folha de cheque não tem sido muito utilizada pelos consumidores, mas… tem gente que não pode ver um pedaço de papel que já pensa em Fazer Arte! Você já ouviu falar no The Paycheck? É um site repleto de arte em folhas de cheque. Pesquei lá algumas para compartilhar com vocês:



Quer ver mais Arte em Cheque? Clique AQUI

VIK MUNIZ – Biografia e Principais Obras



Em homenagem ao Dia Nacional das Artes (dia 12 de agosto) trouxe para o nosso blog um post muito especial sobre um artísta plástico e fotógrafo brasileiro radicado em Nova York desde 1983. Ele faz experimentos com novas mídias e materiais, seu nome é Vicente José de Oliveira Muniz, nasceu em São Paulo no dia 20 de dezembro de 1961, hoje ele é mais conhecido como Vik Muniz. Foi aluno da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), onde frequentou aulas do curso de Publicidade e Propaganda.


As obras de Vik Muniz são valorizadas no mundo todo, ele é um talento criativo, apaixonado por ícones visuais. Ao longo de sua carreira realizou exposições: na Flórida, Miami, Montreal, Nova Iorque, México, Canadá, Austrália, Rio de Janeiro…



A marca registrada da obra de Vik Muniz é a fotografia de trabalhos realizados a partir de técnicas variadas e materiais inusitados.  Entre suas mais famosas criações estão a Mona Lisa feita de pasta de amendoim, o Che Guevara desenhado em geléia, o soldado criado com soldadinhos de plástico e o retrato de Elizabeth Taylor montado com centenas de diamantes. Mais recentemente, Vik surpreendeu o mundo da arte com a série de imagens feitas a partir de lixo.


O trabalho que lhe rendeu reconhecimento no mundo foi a série “Crianças de Açúcar”, onde ele primeiro fotografou diversas crianças que trabalhavam de forma exploratória em plantações de cana-de-açúcar, depois reorganizou a imagem delas utilizando açúcar como pigmento, e novamente fotografou as obras acabadas. Estes retratos foram expostos em uma pequena galeria de Nova Iorque, que chamou a atenção do crítico de arte Charles Haggan, colunista do New York Times. O artigo publicado foi o passaporte para o ingresso de Vik na lista dos artistas oficiais dos museus internacionais.

Ele usa, nas suas obras, elementos como algodão, chocolate, açúcar, arame, terra, barbante, especiarias, sucatas, gel, mel, poeira e muitos outros, e de uma maneira criativa, produz obras que impressionam pela inovação e mais ainda pela técnica. Ele mesmo afirma que a ênfase de seus trabalhos não são exatamente as substâncias que ele usa em sua execução, mas a combinação do material com o tema. O fato de usar substâncias novas, na produção de obras de arte é uma tendência que começou desde os anos 1950.

O trabalho mais barato de Vik custa 5 mil doláres.

Um trabalho dele conhecido de todos nós é a capa do CD “Tribalistas”. E mais recentemente a abertura da novela Passione.

Um dos trabalhos mais interessantes de Vik Muniz foi o que ele usou jovens carentes para formar o logotipo da Louis Vuitton. Os participantes ganharam da marca um curso de fotografia de duração de um ano pela ONG Spetaculu. O mais controverso de tudo é que a imagem virou estampa de um lenço que custa nada mais nada menos que R$ 1.200,00! 


Assista ao vídeo abaixo e conheça um pouco mais da vida e obra deste grande artista:

Visite o site oficial de Vik Muniz, clique aqui.

CENÁRIOS "SONHOS DE MILA"

Adele Enersen é uma publicitária finlandesa que produziu verdadeiras obras de arte durante a sua licença maternidade. Adele diz que a sua produção caseira seria sobre os possíveis sonhos de sua filhinha.
VIAJE NOS SONHOS DE MILA:
(Abaixo de cada cenário, uma legenda!)
 Monte o look de Mila!

 Mila gnominha, na natureza…

 Mila, o bebê gigante!

 Mila pescando!

 Mila andando de Elefante!

 Mila passeando com seu cachorrinho!

 Mila surfando!

 A sereinha Mila

 Chuva de pétalas de rosa sobre a Mila!

 Mila cabeleireira!

 Mila no picadeiro!

 Mila nos palcos…

 Mila no campo com sua ovelhinha!

 Mila para secar!

 A coelinha Mila

 Mila no balanço…
 A pequena Mila no espaço…

 Mila cavalgando…

 Mila pulando corda!

Mila e o leopardo!

 Mila voando na Rússia…

 Mila chapeuzinho e o lobo mau!

 A estatuetinha Mila!

 Mila no campo com seus amigos ursinhos, ao por do sol…

 Mila em seu casulo e os livros…

Mila flautista!
Eu estou encantada com tanta criatividade!

DOUG LANDIS – DESENHOS A LÁPIS

Você já ouviu falar Doug Landis?

Olhe para os seus desenhos a lápis:

Observe os detalhes…
Gostou? Este artista incrível e seus desenhos muito originais são feitos com a boca, pois Doug não possui os braços!
A superação desse artista é um exemplo de vida. É fantástico ver como o ser humano pode inverter uma situação de adversidade.
Doug Landis teve paralisia do pescoço para baixo quando ainda era pequeno na prática de wrestling (luta, arte marcial), em sua escola.

Seu irmão, muito triste por ver Doug em depressão, teve a iniciativa de despertar no irmão o desejo de desenhar. A melhora foi significativa, Landis começou a desenhar e retomar o gosto pela vida. Ele pode ter perdido muito de sua liberdade física, mas conseguiu libertar seu espírito.

O artista diz: “Encontrei um talento em mim, que me leva a crer que todo mundo tenha talento. Se eu posso fazer de alguma maneira, todos podem encontrar a sua própria maneira de fazer. Encontrar seu talento ajuda a ter esperança e a atravessar melhor a vida”… “Muitas vezes arranjamos desculpas para não fazer as coisas devido às dificuldades, mas, quando há vontade de fazer, sempre há uma maneira de se conseguir”.

Após uma exposição na Bélgica, o trabalho de Landis recebeu resposta extraordinária, muitas oportunidades surgiram. Doug tem se especializado cada vez mais na anatomia de animais, principalmente os situados em via de extinção.

CURIOSIDADE: Imagine que um esboço desses desenhos pode demorar entre 4 a 20 horas.

Visite o site do artista clicando AQUI.

Colaboração: Wilson Pereira de Almeida.

A ARTE ENFRENTA A DOR

Um artista, um herói, um pequeno lutador, no Kansas, Estados Unidos da América.
Aidan Reed é uma criança de apenas 5 anos que padece de cancro (leucemia), mas descobriu a saída do labirinto. Com arte, fez da fraqueza força e deu uma lição de vida.
Na cama do hospital, Aidan Reed, desenhou 2460 desenhos de monstros, palhaços e alienígenas. A venda destes desenhos o ajudaram a arrecadar mais de 20 mil euros e impedir que a casa dos pais fosse vendida para custear o seu tratamento.
 
“Eu gosto de desenhar cavaleiros, bobos da corte, palhaços assustadores e alienígenas”, disse Aidan ao Survivors Club, uma organização que ajuda pessoas que enfrentam adversidade.
“Eu também gosto de me vestir de palhaços bons e palhaços malvados. Eu posso ser um lobo ou um zumbi…” 
COMO SURGIU ESTA IDÉIA?
As contas de hospital estavam se acumulando, os Reed, sem alternativa, colocaram a casa da família à venda. Foi aí que surgiu a ideia de transformar um hobby de Aidan em fonte de recursos. Durante o tratamento, Aidan gostava de desenhar, seus desenhos foram colocados à venda na internet pela tia do menino, Mandi Ostein. 
“Meu número de sorte é 60, então eu decidi que iria vender 60 desenhos”, disse Ostein.
Mas o sucesso foi tanto que a tia de Aidan acabou transformando sua casa em um centro de impressão e envio de desenhos. Muitos deles eram “assinados” pelo artista. Pedidos chegaram de vários países do mundo, inclusive do Brasil. 
“Eu fiquei impressionado com a reação aos desenhos de Aidan. Acho que para ele também tem sido uma boa distração para enfrentar a doença”, disse o pai de Aidan, Wiley Reed.
Esta é uma história real, para contar a filhos e netos, com um “ERA UMA VEZ”, no início, e “VIVEU FELIZ PARA SEMPRE”, no final. Veja agora os desenhos de Aidan:

BBC Brasil – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Para visitar o blog do pequeno artista clique AQUI

COLAGEM "DESCOLADA"

A arte de colar vem conquistando ao longo dos anos muitos adeptos. Recortar e colar é divertido! Você já se arriscou a fazer uma colagem? É muito legal expor as suas idéias, expressar os seus sentimentos “desenhando com a tesoura” como dizia Henri Matisse.
A colagem é uma forma de arte aceita e valorizada. Ela permite ao artista a liberdade de abordar o meio que o cerca de qualquer maneira sem restrições de formatos, texturas ou materiais. Este meio é uma forma direta de comunicação para o artista, ou seja, o artista pode tirar da natureza ou da vida urbana quaisquer materiais que ele deseje como forma de expressão simbólica, inclusive esta forma de arte ajuda a reciclar materiais descartados.
Navegando pela Internet, descobri muitos artistas plásticos da nossa atualidade que se dedicam a esta arte, verdadeiros “Mestres da Arte de Colar”, vejamos abaixo alguns deles e respectivas obras:

ANDERSON THIVES, é paranaense, radicado no Rio de Janeiro. Apesar de autodidata, é formado em artes plásticas e visuais pela Universidade Tuiuti do Paraná, e há mais de 10 anos, desenvolve um trabalho no qual utiliza a técnica da colagem. Seu trabalho, “Pop-Contemporâneo”, tem como grande referência artistas da Pop Art, como Andy Warhol.


Visite o site de Anderson Thives clicando aqui.


BEATRIZ MILHAZES, uma das artistas plásticas brasileiras mais festejadas no panorama artístico internacional da atualidade.
Sua arte, nas mais diferentes formas de manifestação, tem o movimento e cor que enchem os olhos. É marcada pelo intenso colorido que se manifesta por meio das técnicas de colagem, pintura, decalque, justaposição, sobreposições e serigrafia.



Visite o blog de Beatriz Milhazes clicando aqui.


DEREK GORES, influenciado por mestres como Gustav Klimt, Egon Schiele e Max Ernst, Derek Gores cria colagens sem se preocupar com o resultado final – que é excelente, diga-se de passagem.
Reciclando revistas, jornais e qualquer tipo de papel usado que tenha à mão, o norte-americano segue uma “narrativa zen” de composição. 
Visite o site de Derek Gores clicando aqui.

MANON RADA é uma artista que se inspira nas cores (contrastes e harmonias), no sol do Rio de Janeiro, nos mistérios da Bahia, e transforma tudo isso numa arte espontânea, alegre, quase ingênua.

Visite o blog da artista clicando aqui.

MAYUKO FUJINO é uma artista japonesa que mora atualmente em Nova York. Ela começou sua carreira artística em 1999, inicialmente influenciada por símbolos tradicionais japonesas e uma cultura onde o papel sempre foi considerado algo especial. Lentamente, ela começou a ter seu estilo próprio e está atualmente trabalhando com colagens baseadas em tiras de papel recortadas de revistas que montá-los em papel washi.

Visite o site de Mayuko Fujino clicando aqui.

PETER CLARK utiliza uma ampla coleção com diversos papéis coloridos e  textura padronizada, para fazer sua arte. O artista usa desde mapas antigos, manuscritos dentre outros para criar figuras variadas e fazer suas colagens. Um trabalho gostoso de ver, bem-humorado e criativo. Aprecie as colagens com as imagens de diversos cachorros.

Visite o site de Peter Clark clicando aqui.

SILVIO ALVAREZ  trabalha com colagem desde 1989. Artesão em seu ofício de recortar e colar, além de comercializar suas obras e de desenvolver projetos especiais para empresas, ministra oficinas para pessoas de todas as idades. Um homem preocupado com o futuro do planeta e os valores da sociedade, dedicado a mostrar e provar que tudo e todos podem ser transformados, com talento e dedicação, em algo muito melhor. A sua arte nos chama a atenção para a importância da reciclagem, da vida sustentável de uma forma geral. Sílvio, artista, sonhador, “poeta de imagens”.

Visite o site de Silvio Alvarez clicando  aqui.
Veja este quadro, nele usei duas técnicas (pintura e colagem) para fazer a releitura da obra “Sinecio” de Paul Klee:

Além destas obras, trouxe outras imagens que encontrei na Internet, porém não sei informar quem são os autores delas. Caso você saiba e queira fazer o favor de me informar, fico muito grata. Envie um e-mail para
euevcfazendoarte@hotmail.com terei o maior prazer em dar os créditos ao artista.

 
Fizemos algumas colagens, eu, minha filha e a amiguinha dela. Vejam:
 

Gostou? Se você fizer uma colagem e quiser vê-la postada aqui no Eu  e Vc Fazendo Arte, pode enviar para o e-mail do blog. Estou esperando!!!

A ARTE DA TATUAGEM NO DENTE

Que tal a tatuagem do seu artista preferido, ou do seu personagem favorito, em um lugar no mínimo bastante “diferente”?


Steven Heward inovou, lançando a Tatuagem Dental. O custo para você ter o desenho que quiser no seu dente gira em torno de 70 a 250 dólares. Confira:

Se você gostou da idéia e quer saber maiores detalhes sobre o trabalho de Steven e a sua equipe, visite o seu site oficial: AQUI

A ARTE DE CONGELAR O MOVIMENTO

Tsang-Cheung Shing é o artista plástico de Hong Kong, mestre da escultura em porcelana. Suas obras nos mostram com precisão a arte de “congelar” o movimento.

Veja esta instalação bem curiosa chamada “Ying Yeung”, o nome refere-se a uma uma bebida popular em Hong Kong, feita de uma mistura de café, leite e chá e também simboliza o pato mandarim, uma metáfora para a união e amor. Simplesmente fantástico!


A escultura “Ying Yeung” pertence ao Museu de Arte de Hong Kong.

A sua arte representa o movimento de forma estática, especificamente a modelagem de líquidos, veja:



Veja outro estilo do artista:



CURIOSIDADE


Yuan yang é como os chineses se referem aos patos mandarim (Mandarin Duck), que sempre aparecem nos lagos em pares. Estas espécies são monogâmicos, ou seja, são aves extremamente fiéis aos seus companheiros, ao ponto que, mesmo colocando um macho com várias fêmeas, ele irá escolher apenas uma, que também deve aceitá-lo. O casal ficará junto até que um deles morra. Somente após a morte, a ave que sobreviveu irá procurar outro par.

A arte oriental frequentemente representa um par de patos mandarim, pois para os chineses eles simbolizam felicidade no amor, romance, dedicação, carinho, fidelidade conjugal, união e amor duradouro.

A obra de Tsang-Cheung Shing composta por duas xícaras cheias de chá, café e leite que ao ter seu líquido derramado, este toma forma do rosto de um homem e de uma mulher que se encontram num beijo. Assim como um par de patos mandarim, simbolizam a felicidade no amor.